terça-feira, 27 de junho de 2017

Que a saudade se faça destino

Depois de tantos momentos tão intensamente vividos,
Guardados dentro da alma, como se a eternidade
Ali também estivesse, guardando como se fosse divino
Os que a vida permitiu. Depois de tantos sonhos
Que se fizeram apenas um como verdades de dois,
Depois dos detalhes que de história se fizeram,
O viver de agora, sem essa saudade, não seria viver.
Me perco em vagos devaneios nos buscando
No tempo, te trago para perto como se tudo
Ainda estivesse tão aqui, como se os ontens
Fossem hoje e tudo estivesse em volta de mim,
Até a brisa se perfumou com teu perfume doce,
Único, como se apenas ele existisse no tempo.
Não seria vida não fosse essa saudade, viva,
As vezes cheia de risos, outras de lágrimas
Mas a te trazer, a te fazer, apesar do tempo,
Minha maior verdade. Te amar tanto assim
Me ensinou que o que o destino não permite
Ser para sempre, que para sempre seja a saudade
A lembar o que vivemos e ainda ...amamos.
Talvez seja isso a eternidade.


José João
27/06/2.017

2 comentários:

  1. Que texto incrível, ele transpassa a imensidão de uma saudade e como ela nos afeta.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, João.
    Acho muito triste não amar para sempre, dói, sangra,fere.
    Quisera que assim não fosse,que não ficassem apenas as doces lembranças de amor, mas sua plenitude vivente em nós e por nós.
    Como é triste a falta de eternidade.
    Tenha uma excelente semana.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...